2017

2017

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

VINICIUS DE MORAES, MARIA CREUZA & TOQUINHO - TRISTEZA AND OTHER SUCESSES (1992)

O álbum desta postagem, intitulado "Tristeza And Other Sucesses", de Vinicius de Moraes, Maria Creuza e Toquinho foi lançado na Europa, pela Zillion Records, no ano de 1992.

Não é um lançamento oficial, sendo mais uma apelo comercial para aproveitar a atratividade do ritmo da musica brasileira, que expandiu muito na Europa muito nos anos 1980 e 1990.

O disco não contém informações técnicas das gravações, parecendo ser uma coletânea extraída dos shows do trio. O design da capa poderia ser melhor. A parte gráfica poderia conter, pelo menos, as fotografias deles. 

Em compensação, o disco vale pela seleção de músicas e interpretações, principalmente da cantora Maria Creuza, que aprecio muito. Em minha opinião, essa cantora merecia ser mais reconhecida em nosso país.

As musicas contempladas são as seguintes:

1. Tristeza - Vinicius de Moraes & Toquinho;
2. Regra Tres - Vinicius de Moraes & Toquinho;
3. Dindi - Maria Creuza;
4. Lamento no morro - Maria Creuza, Vinicius de Moraes & Toquinho;
5. Se todos fossem iguais a você - Vinicius de Moraes & Maria Creuza;
6. A felicidade - Maria Creuza, Vinicius de Moraes & Toquinho;
7. Que maravilha - Maria Creuza, Vinicius de Moraes & Toquinho;
8. Saudade da Bahia - Maria Creuza;
9. Minha namorada - Maria Creuza & Vinicius de Moraes;
10. Samba em preludio - Maria Creuza, Vinicius de Moraes & Toquinho;
11. Chega de saudade - Maria Creuza;
12. Irene - Maria Creuza, Vinicius de Moraes & Toquinho;
13. E se esqueça de mim - Toquinho;
14. A benção Bahia - Toquinho & Vinicius de Moraes;
15. A flor de noite - Toquinho & Vinicius de Moraes;
16. Samba de Gesse - Vinicius de Moraes;
17. Testamento - Toquinho & Vinicius de Moraes.














Links:






quinta-feira, 19 de outubro de 2017

UNPLUGGED - VARIOUS ARTISTS (1994)

Nesta postagem, vamos resgatar uma coletânea internacional, intitulada "Unplugged", lançada no Brasil, em 1994, pela gravadora EMI. Nessa década, virou moda os "acústicos", consequência dos programas acústicos lançados pela MTV. 

Esse estilo, que caiu nas graças do mercado, propiciou a releitura das canções já consagradas e principalmente possibilitou o resgate de muitos artistas e bandas que estavam com a sua carreira travada ou em decadência.

O álbum desta postagem traz nomes conhecidos no meio musical, tais como: Duran Duran, Peter Gabriel, REM, Roxette, Iggy Pop, Sinead O'Connor, Kate Bush, Talking Heads, Morrissey, Marillion, entre outros.

O disco foi montado com as seguintes canções:

1. Ordinary world - Duran Duran;
2. Here coms the flood - Peter Gabriel;
3. Here comes the weekend - Roxette;
4. Would I lie to you - Charles & Eddie;
5. Gardening at night - REM;
6. Weather with you - Croweded House;
7. Battle of evermore - Ann & Nancy Wilson;
8. Sympathy - Marillion;
9. Little conversation - Concrete Blond;
10. That's entertainment - Morrissey;
11. Psycho killer - Talking Heads;
12. Sleeping satellite - Tasmim Archer;
13. Brick by brick - Iggy Pop;
14. Black boys on mpeds - Sinead O'Connor;
15. This woman works - Kate Bush;
16. Swan swan H - REM


 















Links:




VIOLINOS MÁGICOS - OS FABULOSOS (1972) - REPOST

Ainda nas repostagens, agora é a vez do álbum "Os Fabulosos Violinos Mágicos", da orquestra brasileira Violinos Mágicos, lançado no Brasil, inicialmente, pela gravadora Musidisc, em 1969 e posteriormente relançado pela gravadora RCA, no ano de 1972. Esse disco foi apresentado pelo blog LaPlayaMusic em 20/agosto/2011. 

No final das décadas de 1960 e 1970, muitas orquestras brasileiras eram compostas por músicos de estúdio e os seus componentes não eram conhecidos do público. Algumas até tinham nomes diferentes, fazendo alusão de que eram estrangeiras.

Os Violinos Mágicos era mais uma dessas orquestras de estúdio, que foi criada exclusivamente para fazer frente as orquestras das outras gravadoras, tais como Orquestra Brasileira de Espetáculos, Orquestra Serenata Tropical, Orquestra Tropicana, entre outras.

A escolha das canções instrumentais que compõem esse disco se restringiu aos sucessos que tocavam nas rádios naquele momento. São as seguintes:

1.  Delilah; 
2. Don't sleep in subway; 
3. Sunny; 
4. Take me in your arms; 
5. Ob-la-di, Ob-la-da; 
6. Dá-me; 7. Massachsetts; 
8. Autumn of my life; 
9. Up, up an away; 
10. with a little help from my friends; 
11. Monia; 
12. Release-me













Links:




MAURICE MONTHIER E SUA GRANDE ORQUESTRA - VOLUME 5 (1972) REPOST

Por solicitação, estamos reapresentando o álbum "Volume 5", da Orquestra de Maurice Monthier, lançado no Brasil, em 1972, pela gravadora Odeon, com o selo London, que nada mais era do que o pseudônimo do esquecido maestro Carlos Monteiro de Souza. Essa utilização de pseudônimos era prática comum nos anos 1960 a 1970.

A seleção do disco é composta por canções populares, sucessos nas paradas da época. Apesar da limitação na qualidade do áudio, devido as precárias condições do disco, pela sua raridade na internet, vale a pena conhecer. 

A músicas dese álbum são as seguintes:

1. Look around (and you'll find me there);
2. Eu nunca mais vou te esquecer;
3. To be the one you love (Tema do filme Anônimo Veneziano);
4. I can't stop loving you;
5. Soley, soley;
6. Alô, alô! taí Carmem Miranda;
7. There's no more corn on the brasos;
8. Lady Rose;
9. Cantata per Venezia;
10. Bendito;
11. Chitarra suona piu' piano;
12. Das 200 para lá.

















 Links:






terça-feira, 17 de outubro de 2017

CARDINALE - APRESENTA O SUCESSO (1968) REPOST

Atendendo a vários pedidos, principalmente do Ronildo, nesta postagem reapresentamos o álbum instrumental do Cardinale,  intitulado "Apresenta o Sucesso", que foi lançado em 1968, pela gravadora Odeon, com o selo Parlophone. 

Pesquisando a respeito desse grupo, verificamos que na verdade se tratava da banda The Fevers, com mais um dos seus pseudônimos, que foram utilizados durante a carreira do grupo. Neste caso, em particular, foi gravado na fase inicial do grupo. 

Esse disco se destaca por ser todo ele instrumental e também chama a atenção, pela utilização de solos de órgão com similaridade a música do instrumentista Lafayette. É interessante como cada trabalho tem similaridades, mas também algumas diferenças, como por exemplo quando comparamos esse disco com os do The Big Seven, que também era The Fevers.

Há limitações na qualidade de áudio desta versão postada, apesar da recuperação que foi realizada, em virtude das condições do material original. Mas vale a pena conhecer, uma vez que esse disco volume 1 e principalmente o volume 2 são muito raros.

As músicas que compõem do disco são as seguintes:

1. Com muito amor e carinho;
2. Ultima canção;
3. Bilhetinho apaixonado;
4. Largo tudo e venho te buscar;
5. Mrs. Robinson;
6. Eu te amo, te amo, te amo;
7. Para o diabo os conselhos de vocês;
8. É la pioggia che va;
9. O barqueiro;
10. Seul sur son etoile;
11. Delilah;

BILLY VAUGHN - SOUNDSTAGE (1972)

Dias atrás, o amigo Adilson Caetano me perguntou se eu dispunha do album "Os Grandes Sucessos de - Vol. 2", da Orquestra de Billy Vaughn, que contém a música Theme From The Summer of 42, composição de Michel Legrand.

Apesar de ter um acervo legal dessa orquestra, infelizmente não tenho esse álbum, que acredito ser uma edição brasileira. Entretanto, localizei essa música no raro disco de temas de filmes, intitulado "Soundstage", que foi lançado nos Estados Unidos, em 1972, com o selo Paramount.

A seleção desse álbum é composta das seguintes canções instrumentais:

1. Bless The Beasts And The Children;
2. Love Theme From The Godfather;
3. Theme For Nichette;
4.  If I Were A Rich Man;
5. Theme From Play It Again Sam;
6. Theme From The Summer Of '42;
7. The Godfather Waltz;
8. Reggie's Theme;
9. How Can We Run Away;
10. Theme From Shaft;
11. Theme From Nicholas And Alexandra.












Links:






sábado, 14 de outubro de 2017

PAPI GALAN - JOVEM HARPA (1970)

Esta postagem é interessante e rara. Tratas-se de um álbum que mostra versões de canções de Jovem Guarda, tocadas em harpa, por Papi Gala, no disco "Jovem Harpa", lançada no Brasil em 1970, pela pequena gravadora MusiColor. 

Adolfo Bernal, mais conhecido como Papi Gala, nasceu em Puerto Guarani, Chaco paraguaio, no ano de 1939.

Em tenra idade veio com sua mãe para viver em Assunção. Começou sua carreira musical aos 12 anos, fazendo “mate e tereré”, enquanto seu tio, Virgilio Perez tocava harpa e violão.

Ele era admirador apaixonado por seu tio, e, inadvertidamente, aprendeu a tocar harpa, graças ao “mate e tereré”. Logo seu tio viajou para o Brasil e Papi ficou praticando a harpa. Em apenas seis meses, formou um trio com seus amigos do bairro para sair em serenatas.

Após o serviço militar, viajou para São Paulo, Brasil para trabalhar com Thrushes Guarani do Grupo, onde seu tio era um membro como cantor e guitarrista. No Brasil, trabalhou por 10 anos, gravou vários álbuns e teve bastante sucesso.

Além de vender muitos discos, trabalhou e gravou com Luis Bordon, famoso pelos seus discos de músicas de natal. Também atuou com o Trio Cristal, e a famosa Ponta Set Mestre Porá Herminio Giménez, cobrindo grande parte do Brasil, em especial na área de Mato Grosso.

Depois de viajar para a Europa, onde trabalhou por 20 anos, cobrindo todos os países europeus, a partir de Ilhas Canárias para a Finlândia, tendo residência fixa na Suíça, atuando em grandes hotéis e restaurantes.

Aos 50 anos, decide voltar para o Paraguai, formando uma nova família e construir a sua própria casa, em Assunção, onde vive atualmente. No porão de sua casa tem um estúdio de gravação, e no 1º andar tem uma pequena oficina onde em seu tempo livre constrói harpas e guitarras, fazendo várias inovações na harpa e violão.

Atualmente é professor do Conservatório Nacional de Assunção e também para a instituição Autores Paraguaios Association (APA).

Papi Galan costuma viajar uma vez por ano para visitar o seu filho e respectivo grupo musical, na cidade de Campo Grande/MT, Brasil, como convidado do Conservatório daquela cidade.

Entre a sua obra musical que mais gosta é o de fazer arranjos orquestrais da música paraguaia e criar composições. Em sua carreira musical participou de inúmeras gravações com artistas nacionais e internacionais de renome.

O material que estamos disponibilizando nesta postagem, tem limitações de qualidade de áudio, principalmente na primeira faixa, devido ao estado deplorável que estava o disco que serviu de fonte. No entanto, acredito que, mesmo assim, vale para conhecê-lo.

A seleção do disco é composta das seguintes canções:

1. Canzone per te;
2. Alegria, alegria;
3. Pic-nic;
4. Namoradinha de um amigo meu;
5. Estou feliz (Puppeton a string);
6. Só vou gostar de quem gosta de mim;
7. E por isso estou aqui;
8. Como é grande o meu amor por você;
9. Eu daria a minha vida;
10. Coisinha estúpida (Something stupid);
11. Coração de papel;
12. Fiquei tão triste.




















Papi Galan e sua harpa

Links:






MEIRELLES E SUA ORQUESTRA - BRAZILIAN BEAT - VOLUME 4 (1969)

Antes de iniciarmos a nossa postagem, gostaria de parabenizar o nosso amigo Chico e colaboradores do blog SintoniaMusikal, pelo alcance de 3.000.000 de acessos em sua existência, nos brindando com grandes raridades e excelentes compilações. Vida longa...


No mês passado postamos o álbum "Brazilian Beat - Volume 2" de Meirelles e Sua Orquestra (Veja detalhes na postagem anterior) e agora segue o Volume 4 dessa mesma série.

Esse disco instrumental foi lançado no Brasil em 1969, pela gravadora Odeon, com o selo London. Como o título sugere, a seleção é composta por músicas brasileiras com predominância de sambas.

As músicas do disco são as seguintes:

1. Agora é cinza
2. Ai que saudades da Améli;
3. Arrasta a sandália;
4. Atras do trio elétrico;
5. Estrela;
6. O teu cabelo não nega;
7. Touradas de Madrid;
8. Ta hi;
9. Sa Marina;
10. Pais tropical;













Links:







sexta-feira, 13 de outubro de 2017

JOHNNY RIVERS - BORROWED TIME - 1980 - REPOST

A pedido do Carlos, de Lajes/SC, reapresentamos o álbum "Borrowed Time", do cantor americano Johnny Rivers, que foi postado aqui no blog no dia 17/fevereiro/2012.

Este disco é um trabalho interessante e diferente do estilo dos discos antecessores. Foi lançado no Brasil em 1980, pela gravadora Polygram, com o selo RSO. 

Nessa época, Johnny Rivers precisava de algo diferente em sua carreira e ansiava por algum hit. Infelizmente o álbum  não foi o que se esperava, não sendo um sucesso comercial. O mercado musical estava passando por uma transição de estilos e gêneros. 

Em minha opinião, o disco tem boas músicas, um pouco mais aceleradas em relação ao estilo anterior, porém ao ouvirmos com mais cuidado o mesmo é agradável. 

Desse disco eu destaco as músicas China, Give It Up For Love e Romance (Give a Chance) e a participação especial de Phil Everly, integrante do Everly Brothers, na vocalização das músicas Dreamer e Living alone

A seleção do disco contém as seguintes músicas:

1. China; 
2. Pride; 
3. Borrowed time; 
4. The price; 
5. Give It up for love; 
6. Romance (Give me a chance); 
7. Be my baby; 
8. little white lie; 
9. Dreamer (participação nos vocais de Phil Everly);  
10. Living alone (participação nos vocais de Phil Everly);   
11. Who you gonna love?




















Links:







segunda-feira, 9 de outubro de 2017

FRANCK POURCEL - E UM MUNDO DE MELODIAS - VOLUME 17 - 1973

Aproveitando a última postagem, segue mais um álbum da Orquestra de Franck Pourcel. Desta vez, trata-se do "E Um Mundo de Melodias - Volume 17", lançado no Brasil em 1973, pela gravadora EMI / Odeon.

Em minha opinião, o destaque desse álbum são as composições de George Harrison (Oh! Darling) e de Paul McCartney (Live And Let Die).

A seguir a relação das canções instrumentais que compõem o disco:

1. Yesterday once more;
2. Oh! Darling;
3. La maladie d'amour;
4. Vado via;
5. Chante comme si tu dvais mourir demain;
6. Papillon;
7. Angie;
8. Les viex maries;
9. Tout donné, tout repris;
10. La fete;
11. Why, oh why, oh why;
12. Live and let die.













Links:







FRANCK POURCEL - DIGITAL AROUND THE WORLD (DIGITAL AUTOUR DU MONDE - 1981 - REPOST

Hoje resgatamos mais uma das obras da Orquestra de Franck Pourcel, intitulado "Digital Around The World (Digital Autour du Monde)", que foi lançado no Brasil, em 1981, pela gravadora EMI, com o selo (label) Pathe. 

Apesar de preferir os álbuns mais antigos do maestro, eu destaco os arranjos das canções Lança Perfume (Rita Lee), Memory, Bette Davis EyesLogical Song e Morning Train.  

A seleção das músicas do disco são as seguintes:

1. Lança perfume;
2. Bette Davis eyes;
3. Memory (Cats soundtrack);
4. Lay all you love on me;
5. Primorose;
6. Logical song;
7. The race (Le course);
8. Hoy he empezado a quererte otra vez;
9. Morning train (L'amour c'est comme une cigarete);
10. Melodie.



















Links: